sexta-feira, 4 de maio de 2012

Memórias de momentos inesquecíveis: NKOTBSB!

Color My World by Backstreet Boys on Grooveshark
(PS: Esse post pode - e deve - ser lido com "Evergreen", também.)

Não faz muito tempo que escrevi no blog sobre sonhos realizados, ou pelo menos um, na época: meu primeiro VIP com os Backstreet Boys e a sensação de estar perto deles. Mal sabia eu, naquela época, que eu estava tão perto de realizar esse mesmo sonho novamente.

Sempre tive vontade de assistir um show fora do Brasil, principalmente porque a gente sabe bem a insanidade que é a coisa aqui, e só quem já foi sardinha em lata sabe o que é isso. Na última turnê, inclusive, eu resolvi me meter a besta e fazer uma simulação de compra no site do FC, só pra ficar com raiva quando vi que meu assento seria o A19... Mas tudo bem.

Na páscoa desse ano minha tia surtou na batatinha, resolveu que queria ir pra NYC, como se fosse ali na padaria da esquina, mas isso acendeu um foguinho em mim e na minha mãe: Europa! E pra quem tem mais hora voada que urubu e muita minhoca na cabeça, foi mais que o suficiente. Em pouco menos de um mês lá estávamos nós correndo com renovação de passaporte, passagens, reservas e todas essas burocracias necessárias. O que eu só não sabia é que no meio disso eu teria uma das melhores experiências da minha vida: finalmente assistir um show lá fora, e não qualquer show, um show dos meus lindos e sempre amados Backstreey Boys (com o NKOTB, mas essa parte a gente ignora).


Coisa de quem não tem o que fazer, mal gosto musical, falta de onde jogar dinheiro fora (como diria minha avó), tudo isso que eu já sei, já ouvi e vou ouvir forever and ever. Sim! Pode ser, mas pra mim foi mágico e especial, não tenho como negar que eles fazem parte da minha vida, e no meu pacote completo, quem compra, tem que levar eles todos e aguentar meus momentos Carters.

Nossas férias eram previstas pra acabar dia 26 de abril, então eu teria de encaixar o show em algum lugar. Encaixei: Manchester. Sim, eu estava voltando pra Inglaterra, meu "safest place to hide". Ingresso, segunda fileira, VIP Gold pra mim e a mamãe (sim, ela gosta. Não, não é tortura), roupas, máquina, bateria, cartão de memória; praticamente um arsenal de guerra.

A ansiedade era tão grande, tão grande, tão absurda (e ai eu concordo que, as vezes, ser fã beira a loucura) que eu passei dois dias no soro com a gastrite gritando e dançando em mim. Mas passou, embarquei. Vivi dias felizes em Portugal (onde, finalmente, conheci a lindona da Gah Bittencourt e os príncipes que são os filhos dela. Pessoas queridas de quem sentirei saudades), alguns stresses em Paris e me enchi de alegria quando cheguei em Manchester.

Nunca fiz uma review de show e nem nada, e acho que não vou começar agora, até porque não saberia ser imparcial, então me cabe apenas dizer o que eu vivi, e surtar com as lembranças que ficaram.

A primeira grande diferença: cheguei na arena e não tinha uma alma! Pra quem tá acostumado com filas que dão voltas na lua, eu tive a certeza que estava no lugar errado. Surtei! Minha internet não conectava nem por ordem ou decreto e eu identificava as fãs pelas scarves da Wylee ou uma roupa um pouco mais "ousada". Finalmente chegou uma menina com um cartaz "I ♥ Brian" e ai ou estávamos as duas no lugar errado ou a coisa tava melhorando.

Check-in feito, passes na mão, minha mãe me olhando com aquele ar de riso insuportável e eu tentando não bancar a louca. Nick passou o tempo todo dele tocando aquela violinha (guitarra), perdido no mundinho particular dele, mal olhou pra gente, enquanto o AJ tava todo fofo e brincalhão. O Brian até tava animadinho também, mas quando perguntaram do Baylee pra ele foi visível, ele murchou. Ele dizendo que a saudade é absurda e que com o Bay ficando mais velho só piora, foi de cortar o coração. E quando ele disse que o Bay as vezes não quer conversar, porque já está dormindo, ou porque está tristinho. Pecado, gente! A pergunta absurda do dia ficou a cargo das Doroughs que quiseram saber qual era o tipo de pele do Howie. What for? Bom, mas como boa Carter que sou eu morri mesmo foi com o Nick respondendo que o "safest place to hide" dele é o grupo. Ele tava sério e disse que era o grupo o melhor e maior refúgio dele. Virei geleca. Mas gelei mesmo foi quando o Brian disse que a foto seria sem barreira. Se eu já tremia antes, ai foi pro ralo toda minha dignidade.

 

Brian foi fofo quando cheguei pra cumprimentá-lo e surtou quando viu o McMonkey. Ele falava: "Monkey! Monkey!" e eu ri, antes de me perder lindamente no sorrisão e nos olhos azuis do Nick. Não tem como, gente, aquilo é a minha perdição, mas o momento: Vale a pena ser fã desses cornos veio em seguida. Eu entreguei o McMonkey pro AJ que surtou kkkkkkkk Eu só ouvia (com um sorrisão de satisfação na cara): "Lovely! Adorable! Absolutely adorable! Comme here, gimme a hug!" e aqueles bração tatuado em volta de mim *-* (Ele é todo cheiroso, gente!)

Q deve ter me odiado e o segurança histérico do Brian que fica gritando: "No kisses, no hugs, just shake hands!" também, mas hey! Foi o AJ quem me puxou, briga com ele =P

Fotos tiradas, hora do show! Olha, eu tenho muitas ressalvas à essa turnê e ao NKOTB. Não sou uma blockhead e pouco conheço da banda, mas o que posso dizer é que os nossos meninos fazem valer a pena. As danças, as coreografias, os figurinos, tudo é absolutamente lindo! (eu disse que não seria imparcial) "The Call" abrindo o show e o AJ mostrando porque é O cara! 10.000 Promisses e o Brian fazendo questão de lembrar o quanto essa música é linda! Nick (sempre lindo, gostoso, todo risos, sorrisos, lambidas, caras e bocas e todo rebolativo) acabando com o resto da minha vergonha na cara em Incomplete e I Want It That Way, que ainda faz arrepiar quando você ouve aquele mar de gente cantando (sem esquecer que o Howie fez questão de fazer aquela dancinha básica dele, meio Beto Barbosa). E eles descendo as escadas no meio das fãs, atendendo dentro do possível, olhando nos olhos, pegando na mão. É simples, talvez eles nem vejam quem cumprimentam (e com certeza não o fazem), mas a gente se sente especial. Do meu lado desceram Brian e AJ, que pegou na minha mão e meu sorriso (largo) ficou ainda maior. Mas tudo que é bom dura pouco e as 2:30h de show passam num passe de mágica. Logo todos aqueles papeizinhos picados tavam caindo em cima de mim... E eu já tinha até esquecido que minha máquina entrou numa campanha "diga não ao Carter" e tirado só foto do McLean...




Foi bonitinho, também, depois de quase 3 dias do show, quando eu já estava em Londres, ver nas fotos do AJ que, atrás dele, no ônibus, estava o McMonkey! Ele guardou, gente *-* Espero mesmo que tenha gostado.



Bom, mas não é só! O que eu achava que não podia ficar melhor, ficou. Minha mãe pode dar uma espichadinha nas férias e dia 29 lá estava eu na Arena O2. Sonho. É engraçado ver que tanta coisa já aconteceu ali, inclusive o MSN in Concert e de repente estar no mesmo lugar prestes a viver outras emoções, coisas que você nunca imaginou, como a minha foto com a Leighanne e o Baylee um dia antes do meu show, ou os anúncios que estavam prestes a serem feitos.

Dia 29 eu fui sozinha. Permissão pra surtar, concedida! Mas acho que levei isso muito ao pé da letra... Sentada na 1a fila pro SC, Nick e AJ (que tocou bateria, me tirando uma dúvida antiga) lado a lado e sentados na minha frente já seria motivo pra ficar abestada, mas sempre pode ficar pior quando o Nick está num dia lindo, todo melado de doce, e canta a capella a parte dele de Shattered. Ou quando o AJ sobe ao palco e pega o Baylee que se jogou no colo dele antes de ir dançar com o Brian... É, eles (nós) são (somos) mesmo uma família. Torta e desajeitada, but who cares? Como diria a Itsaso (que eu conheci dia 28): "In a Backstreet Boys concert you're never alone, you're always making new friends."




Eu podia dizer que fizemos fila, que logo viriam as fotos e que esse SC estava lotado de gente (por isso as fotos foram com barreira, segundo o Howie), mas vou logo pular pra parte interessante da coisa: o momento que o loiro finalmente me fez perder, literalmente, o rumo de casa...

Tudo ia bem na Backstreetland, cumprimentei o AJ (que estava absurdamente elétrico aquele dia. Gritando, pulando e dançando sem música até tirar a Jenn do sério.) que foi educadíssimo as always, com o "Hi lady!" dele e em seguida vinha o Nick... Eu devia estar calma, não era meu primeiro SC, aliás, fazia bem pouco tempo que eu tina vivido aquilo, mas aquele "Hello, my darling!", acompanhado daquele sorriso lindo e daquele olho azul... Desculpem Brian e Howie, eu acho que nem vi voces, eu perdi, juro que perdi, o rumo de casa. Eu não achava o Justin pra bater a foto, eu sai virada pro McLindo num momento McLean sem quere (nem ele entendeu), ridículo! Se você ainda não riu de mim, pode rir, porque foi o que eu fiz. Com quase 30 anos nas costas eu desmontei com um "Hello, my darling!", um sorriso e um olho azul. É... Eu já fui mais forte (?).

Eu ainda tava mole e zumbetinha quando sentei, surtando. Acho que pela primeira vez eu realmente surtei, mas nem tive tempo de recuperar o ar quando o Nick chamou pra fazer o tour no backstage e eu morri! Morri! Morri! M.O.R.R.I! O tour foi muito rápido, as fotos demoraram demais e já tinha público entrando quando o Nick começou a tirar as fotos individuais. É lindo ver o Nick envergonhado falando do "penistage", fica com a mesma cara de criança que eu sempre amei! E ele contando de uma pegadinha que fez com o AJ (só não sei se foi recente)? Ele ri como criança que acabou de fazer arte, fica vermelho, mas doido pro aprontar de novo. E a Carter idiota aqui precisando de um babador tamanho família!

Fila pra foto. Perna mole, coração na boca, cara de retardada. Com toda naturalidade que eu não tinha, entreguei minha bolsa pro fofo do Q e fui: "Hey you, Nick!" (me mata) pra ouvir um "Hi, baby!" acompanhado daquele sorriso largo, aquele olhão e um "Can I sign your pass?". Ai gente, eu sou muito fraca, muito idiota! Geleca eu já era, naquela altura era só a alma mesmo. Ele me abraçou pra tirar foto e... Justin garrou no papo com o Q e esqueceu de bater a foto. Há! Nick não me soltou, não ia ser eu a besta de soltar, né? Fiquei lá, agarradinha, ouvindo ele rir no meu ouvido enquanto chamava o Justin. Minha cara na foto? Um misto de pavor com susto. A realidade? A felicidade era tão grande que transbordava, não cabia em mim. Sai andando torto, depois dele piscar pra mim, quando agradeci, pra achar minha cadeira, que dessa vez não era tão perto do palco, mas que me permitia ver tudo numa boa.

O show foi tão bom quanto o primeiro, mas confesso que as músicas ficaram em segundo lugar com tudo que aconteceu. Brian estava rouco, a voz cansada, show quase todo dia e um frio absurdo em Londres. O grupo parecia feliz, também, quando anunciaram a volta do filho pródigo, digo, Kevin (com a qual não concordo, mas respeito), mas ninguém era mais feliz e iluminado que o AJ. Foi quando ele tirou a jaqueta e a camiseta brilhou: "Daddy to be!" que eu entendi aquele fogo todo durante o SC, aquela coisa que não cabia nele. Ele transbordava felicidade (e a Rochelle, que estava exatamente na minha frente, com a Lauren - ambas são absolutamente lindas - também) e foi abraçado por todos os meninos, que fizeram "montinho" enquanto aquela Arena enorme e entupida ia ao delírio. E, pra fechar com chave de ouro, Nick me cumprimentou, pegando na minha mão, enquanto descia as escadas, seguido do AJ. Um dia ainda vou pensar: "Eu estava lá..."




A verdade é que eu estava mesmo. Vivi momentos inesquecíveis, mágicos, especiais e que me fizeram e fazem extremamente felizes apesar de tudo. Mas nada disso teria sido tão único e especial não fossem todas as pessoas que dividiram isso comigo. Obrigada a todos que dividiram comigo e que me fizeram sentir especial, muito obrigada.

Desculpem o tamanho do texto, sei que falta muita coisa, mas pode perguntar que eu respondo. Desculpa se ficou meio surtado e Carter demais. E muito, muito obrigada por tudo.

Pra quem quiser ver o show, e ainda não viu:

Um comentário:

Ka Wozniak disse...

Daniiiiiiiiiiiii....

Meu Deus!!! Acho q vc conseguiu resumir a emoção q eu senti na Alemanha :D
De verdade... eu chorei aki lendo seu post ...
Muita emoção..e vc não é a unica... consegui ir em dois SCs lá (meus primeirooooosss heheh) e foi td tão rapido, não deu pra programar muita coisa, mas eu simplesmente fiquei fora da orbita ...

No primeiro o AJ nao tava :S então sei la, parecia reuniao de amigos pra mim hehe
Mas no outro q ele tava, ma hora da foto, eu não sabia onde me enfiar... tipo quase isso q vc sentiu rs

Ai ... realizar esses tipos de sonhos é uma tortura, mas vale tanto a pena...

Com certeza eu faria tudo de novo, and again, and again rs

Parabéns pelas fotos!!! Entendo muito sua felicidade e sua emoção... e compartilho de td isso ....

E não é o pq ja temos quase 30 q essas emoções tem q acabar... afinal eles ainda estão ai para nos alegrar hehe

Ah e a parte do NKOTB ... preciso dizer... EU AMEIIIIIII eles... eu gostava um pouco qnd era criança... mas menina... o q era akiloooo... quase morri com o Donnie... ai haha ... me apaixonei eternamente rs....

Super beijo!!!
E vamos organizar a proxima tour na Australia... quer vir junto? hehehehe

:D